Teste da orelhinha: compreenda a sua importância 22/12/2017 Pitibebê

Para ajudar as mamães e papais, principalmente os de primeira viagem, esclareceremos algumas dúvidas, neste post, sobre o teste da orelhinha. Vamos lá?

Um estudo conduzido pela Pesquisa Nacional de Saúde, do IBGE, mostrou que apenas metade dos bebês brasileiros realiza o teste da orelhinha, ou seja, em apenas 56% dos bebês nascidos em território brasileiro são submetidos ao exame. O teste é realizado com menor frequência nas regiões Norte e Nordeste e em maior frequência no Sul e no Sudeste.

A realidade sobre a saúde auditiva dos bebês é coisa muito séria. Para se ter uma ideia: a cada mil bebês nascidos, de um a seis recém-nascidos apresentam sintomas de algum tipo de deficiência na audição.

A estatística é respaldada por uma sequência de pesquisas epidemiológicas desenvolvidas em todo o mundo. Desde que detectadas e tratadas em estágio inicial, até os seis meses de vida, essas alterações não são sentença de prejuízos sociais e cognitivos.

Mas, afinal, você sabe o que é o teste, qual é a sua importância, o que ele pode diagnosticar, como e quando ele pode ser realizado?

Para ajudar as mamães e papais,  esclareceremos algumas dúvidas neste post sobre o teste da orelhinha. Vamos lá?

O que é o teste da orelhinha?

O teste da orelhinha ou Triagem Auditiva Neonatal (exame de Emissões Otoacústicas Evocadas) é um exame que mede a capacidade auditiva de recém-nascidos.

Qual a importância do exame?

Semelhante ao teste do pezinho, se identificada alguma alteração no teste da orelhinha, o bebê deve ser encaminhado a um especialista para que sejam feitos exames complementares. Além disso, existem diferentes graus de deficiência auditiva e são raros os casos em que não há tratamento.

Como é feito o teste da orelhinha?

Um tipo de fone de ouvido é colocado na orelhinha do bebê. Em seguida, são emitidos estímulos sonoros, enquanto um aparelho registra a resposta auditiva, proveniente da contração e distensão das células cocleares, as responsáveis por captar os sons. O exame acontece por apenas cinco minutos e não provoca desconforto à criança.

O que o teste da orelhinha pode detectar?

O teste da orelhinha não identifica doenças auditivas, mas detecta alterações que precisam de um diagnóstico mais completo.

Quando é identificada alguma alteração no teste da orelhinha, o exame é repetido dentro de um período de 15 dias.

Se as alterações persistirem, são realizados exames complementares. Esses sim vão apontar se existe alguma doença e qual o tipo.

As possíveis causas de problemas auditivos são:

  • A toxoplasmose;
  • Malformações congênitas;
  • Doenças genéticas e doenças infecciosas que atingem as gestantes, como rubéola.

O diagnóstico precoce do problema auditivo por meio do teste da orelhinha é extremamente importante para permitir que a criança com a deficiência tenha desenvolvimento neuropsicomotor e aquisição da fala próximos do normal.

A importância do tratamento e reabilitação

Além do tratamento com o médico especialista em otorrinolaringologia, a criança também deve ser acompanhada por fonoaudiólogo especialista em reabilitação auditiva que avaliará o desenvolvimento da audição e da fala da criança.

Existe um grupo de recém-nascidos de maior risco para perdas auditivas?

Sim. É preciso redobrar a atenção com recém-nascidos que se enquadrem nas seguintes condições:

  • Complicações no parto que comprometam a oxigenação do bebê;
  • Uso de antibióticos ototóxicos pela mãe, principalmente no primeiro trimestre de gestação;
  • Prematuridade;
  • Lesões neurológicas, entre outras condições.

Como o teste da orelhinha é realizado?

O teste da orelhinha não dói e é realizado enquanto o bebê está dormindo. O fonoaudiólogo coloca um aparelho de Emissões Otoacústicas Evocadas, que produz estímulos sonoros leves e mede o retorno desses estímulos de estruturas do ouvido interno.

Quando o teste da orelhinha precisa ser feito?

O ideal é que o bebê seja submetido à avaliação antes do primeiro trimestre de vida, para que ele comece a ser estimulado, se necessário, assim que completar o sexto mês.

Entretanto, não convém ultrapassar 28 dias, contando a partir do nascimento. Isso porque o bebê começa a diminuir seus períodos de sono e tem a atividade motora aumentada, o que interfere na execução do exame. O recomendado pelos especialistas é exigir que ele seja feito antes da saída da maternidade.

Quem pode realizar o teste da orelhinha?

Médicos e fonoaudiólogos.

Viu como o teste da orelhinha é importante? O que você achou do conteúdo de hoje? Já conhecia o exame ou ficou com alguma dúvida sobre o procedimento? Então, não deixe de postar o seu comentário abaixo, que teremos o maior prazer em responder!

Categoria: Saúde do Bebê

Receba via e-mail dicas especiais para cuidar de seu bebê!

Outros textos do blog Pitibebê

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.