Teste do pezinho: porque ele é tão importante, você sabe? 04/12/2017 Pitibebê

Explicaremos, neste post, informações importantes sobre o teste do pezinho! Não perca!

O teste do pezinho foi trazido ao Brasil pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) em 1976. O exame de triagem neonatal é obrigatório e gratuito no país desde 1992.

Por meio do teste do pezinho é possível mostrar se o recém-nascido tem alguma alteração que possa indicar o diagnóstico de uma doença de origem genética grave ou que se desenvolveu no período fetal, ou seja, quando ele ainda estava na barriga da mãe. Interessante, não é mesmo?

Mas vocês, mamães e papais de primeira viagem, sabem exatamente o que o exame detecta, porque ele é tão importante e qual o motivo que ele deve ser realizado no período correto?

Se ainda não, este artigo foi feito para vocês! Por isso, explicaremos neste post, informações importantes sobre o teste do pezinho! Acompanhe:

Por que o teste do pezinho é tão importante?

Com o diagnóstico precoce de algumas doenças, que o bebê possa vir a herdar dos pais ou mesmo a desenvolver no período fetal, é possível iniciar o tratamento no período adequado. Ou seja, dessa forma evita-se que a doença se manifeste e se garante o crescimento e desenvolvimento dentro da normalidade da criança.

Quais doenças são detectadas pelo teste do pezinho?

Deficiência de biotinidase

Doença de origem genética. Nela, o organismo não tem a capacidade de conseguir a enzima biotinidase. Ela impede que os alimentos sejam processados ou metabolizados pelo organismo.

Hiperplasia adrenal congênita (HAC)

Doença também de cunho genético. Na HAC, as duas glândulas suprarrenais – encontradas em cima dos rins – não funcionam da forma como deveriam, Assim, prejudica a produção de hormônios essenciais para o corpo, como o cortisol e a aldosterona.

Outras hemoglobinopatias e anemia faciforme

A doença é uma alteração da hemoglobina que dificulta a circulação, que pode trazer malefícios quase todos os órgãos. Pode causar anemia, atraso no crescimento, dores e infecções generalizadas. É incurável.

Fenilcetonúria

Causada pela deficiência no metabolismo do aminoácido fenilalanina. O acúmulo no organismo pode causar deficiência mental.

Hipotireoidismo congênito

A produção desequilibrada de hormônios é causada insuficiência do hormônio da tireoide. A falta de tiroxina pode causar retardo mental e comprometimento do desenvolvimento físico.

Fibrose cística

A doença é incurável e ocorre aumento das viscosidades das secreções causando infecções respiratórias e gastrointestinais. Também afeta os pulmões e pâncreas.

Por que o teste do pezinho precisa ser realizado em um período correto?

O Teste do Pezinho deve ser feito entre os primeiros dois dias de vida da criança até o quinto dia. Pois, esse período de 48 horas antes do exame é essencial para que o funcionamento do organismo do recém-nascido se pontue.

Dessa forma, é possível identificar as doenças, principalmente a fenilcetonúria, que é diagnosticada após o bebê fazer a digestão do leite materno ou da fórmula infantil.

Como o exame é feito?

Uma amostra de sangue da parte de trás do pezinho e enviada para análise. A coleta acontece nessa região devido ao grande fluxo sanguíneo que existe ali. O sangue, então, é colocado num papel tipo filtro e encaminhado ao laboratório.

Como todo procedimento de punção, pode causar dor. Dessa forma, é normal que o bebê chore durante o exame.

O que fazer após a coleta do teste do pezinho?

O resultado pode demorar até 30 dias, mas na maioria das vezes, fica pronto em uma semana. Em caso de alguma alteração no exame, os pais são chamados para realizar uma nova coleta.

Grande parte das doenças detectáveis no exame é assintomática quando o bebê é recém-nascido. Já sabendo o diagnóstico será mais fácil adotar o melhor tratamento e prevenir sequelas e sintomas.

Há algum custo para a realização do teste do pezinho?

Depende. Na rede pública de saúde, o teste do pezinho é oferecido gratuitamente a todos os recém-nascidos pelo Programa Nacional de Triagem Neonatal (PNTN) do Ministério da Saúde. Em hospitais e maternidades particulares, o teste normalmente é pago.

 

O que você achou do conteúdo de hoje sobre o teste do pezinho? Ele foi útil para você? Ficou com alguma dúvida ou gostaria de compartilhar a sua experiência conosco sobre o assunto? Conte para a gente nos comentários agora mesmo!

Categoria: Saúde do Bebê
[contact-form-7 id="60" title="Receba Dicas" html_name="dicas-pitibebe"]

Outros textos do blog Pitibebê

Deixe um comentário

O seu email não será publicado. Os campos obrigatórios são identificados.
Todos os comentários do site são moderados previamente. Se o seu comentário ainda não foi publicado, por favor, aguarde.